terça-feira, 26 de julho de 2011

Dicas Bibliográficas nº 01

Com o início da nossa oficina, vamos disponibilizar pequenos resumos das obras utilizadas em nossas aulas. Na primeira aula, utilizamos dois grandes teóricos do teatro que colocam o atuante em uma prática consciente do "estar em cena", do conhecer, fruir e praticar o teatro.


SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. São Paulo: Perspectiva, 1963.

Este livro é uma espécie de bíblia dos educadores em jogos dramáticos e na arte do teatro. Manual útil para atores profissionais e amadores, professores e crianças. Para a escola e os centros comunitários oferece um detalhado programa de oficinas de trabalho. Aos diretores de teatro propicia uma compreensão dos problemas enfrentados pelos atores e das técnicas para solucioná-los. Promove, ainda, uma discussão dessa atividade na educação, na dança, na psiquiatria, na convivência social e na criatividade artística


BOAL, Augusto. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

Uma das razões da popularidade do Teatro do Oprimido - criado originalmente quando seu autor, o diretor Augusto Boal, iniciava um exílio de 15 anos, durante o governo militar - está no fato de não se tratar de uma simples cartilha dogmática. Publicado pela primeira vez em 1973, traduzido para mais de 25 idiomas e utilizado em mais de 70 países, o Teatro do Oprimido é um método de pesquisa e criatividade que tem como objetivo a transformação pessoal, política e social e que pode ser usado por todos aqueles que se enquadrem na categoria de "oprimidos", sejam operários, camponeses, mulheres, negros, homossexuais.

Nenhum comentário: