domingo, 27 de dezembro de 2009

Último "Médicos da Alegria" de 2009 - 23/12-2009

Desde setembro, o Grupo tem parceria com a Unimed Sul Capixaba para desenvolver o projeto "Médicos da Alegria" no Hospital Infantil Francisco de Assis, em Cachoeiro de Itapemirim. Todas as quartas, em dupla ou em trio, os performers visitam leitos das enfermarias e praticam a arte do humor entre as crianças enfermas, os pais que as acompanham e os funcionários do ambiente hospitalar.

É com muito prazer que encerramos os trabalhos em 2009, com garantia da efetivação de um trabalho harmonioso e baseado num compartilhar de bem-estar, arte, solidariedade e bom humor.

















segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

III Sarau Verbo Intransitivo - 11/12/2009

Poesias de Outubro, Tramas, Detalhes, Sebo Cineclube, Performances Ontológicas, poesias, músicas, gente boa... Rolou isso e muito mais no III Sarau Verbo Intransitivo, organizado pela escritora cachoeirense Milena Paixão e pelo ator Luiz Carlos Cardoso.
Os dois e a atriz Isabel Bremide se caracterizaram para declamar textos e performatizar a arte da literatura. O Sarau ocorreu no Studio 27, em Cachoeiro de Itapemirim, onde funciona o Cineclube Jece Valadão.
Visite o blog do Cineclube cachoeirense: http://www.cineclubejecevaladao.blogspot.com/








Aproveite e visite também o blog de Natássya Carvalho, que registrou essas lindas imagens: http://mifotons.blogspot.com/2009/12/iii-verbo-intransitivo.html








Fim de Ano - Azevedo & Travassos - 11/12/2009















quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Arte e Existência - Apresentação de Monografia - 24/11/2009

O Grupo fez uma participação especial na apresentação da monografia do integrante Luiz Carlos Cardoso. Sua monografia de Publicidade e Propaganda dialogou Propaganda com Performance, trazendo a encenação como um dos objetos de estudo.

Abaixo, algumas fotos, tiradas via celular por Sérgio Grillo:




sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Médicos da Alegria: um projeto da Unimed Sul Capixaba

O projeto “Médicos da Alegria” existe a partir da necessidade de recriar um ambiente hospitalar, carregado de dor e sofrimento, mais humano e solidário. A comunicação entre quem pratica a ação e quem recebe se estabelece na forma do riso e do bom humor a partir da atuação do Grupo Anônimos de Teatro, envolvendo pacientes e profissionais do Hospital Infantil Francisco de Assis, em Cachoeiro de Itapemirim/ES

Baseado em pesquisas cientificas, no repertório teatral do grupo e das conquistas do aumento da qualidade de vida de pessoas internadas em hospitais a partir das interferências humorísticas, além da credibilidade da instituição parceira - Unimed Sul Capixaba -, acredita-se que esse trabalho é garantia de boas perspectivas.









quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Talentos Aprimorando Talentos

Isabel Bremide e Luiz Carlos Cardoso, integrantes do grupo, passaram cinco dias em Vitória/ES, em um curso de interpretação promovido pela Secretaria Estadual de Cultura (SECULT) e pela Fundação Nacional das Artes (FUNARTE).

Promovido pela atriz e diretora de teatro Isabel Setti, os atores participantes trabalharam a investigação do campo expressivo do ator a partir da integração das linguagens naturais do sujeito expressivo, sua dilatação, ocupação do espaço e efetividade na comunicação.


Abaixo, algumas fotos do curso:









quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Ri Quem Quer



Nesta sexta-feira, dia 18 de setembro, estreia nossa nova peça: Ri Quem Quer. Sob direção coletiva e com o elenco de Ana Paula Ventury, Isabel Bremide e Luiz Carlos Cardoso, o espetáculo ocorre em um momento de descontração, proporcionando um convite à liberdade do riso e do divertimento. Os performers, ora personagens em cena num palco iluminado, ora atores em divergência na cochia, mostram que o teatro é uma forma livre de expressão humana, onde o riso pode derivar dos jogos circenses, do grotesco e do ridículo do corpo, capaz de provocar as mais diversas sensações e onde o bom humor é o personagem principal desse momento cênico. Susanne Langer, no livro Sentimento e Forma, diz que o riso “é uma forma de arte que surge naturalmente sempre que as pessoas se reúnem para celebrar” os acontecimentos da vida (LANGER, 1980: 345).

Circulando em um cenário invisível e utilizando elementos cênicos provocadores do equilíbrio/desequilíbrio do atuante, o espetáculo destaca os exercícios faciais e corporais, aliados a maquiagem e ao figurino diferenciado, buscando inspiração na estética dadaísta. Uma livre expressão da arte, numa grande brincadeira com o riso. O que significa (maquiagem, figurino, corpo, grunidos) adquire significado cotidiano, revelando o que não se diz no social, o que é compilado no dia a dia.

A relação sinestésica ocorre em um convite à representatividade, quando o público é colocado no lugar do performer. Assim, ele se desloca da posição de observador para praticar oque é feito na rotina de todos: a prática do bom humor, do grotesco sem grandes pretensões, uma vez que o riso é para quem quer e para quem deseja vivenciar e praticar um momento de liberdade para sorrir e viver.



Ensaios:

domingo, 16 de agosto de 2009

X Festival Nacional de Teatro de Guaçuí






Fotos: Jackson Vimercarti


Nosso grupo participou do X Festival Nacional de Teatro de Guaçuí/ES, que ocorreu entre os dias 10 e 15 de agosto de 2009. Com o espetáculo Arte e Existência: uma performance artaudiana, fomos o único grupo convidado do festival, sem participar do circuito competitivo, entrando em cena no dia 13, às 22h.

Sucesso de público e crítica, o representante Luiz Carlos Cardoso recebeu o troféu de "Espetáculo Convidado" na noite de premiações no dia 15, em noite de festa no Teatro Fernando Torres, em Guaçuí. Na foto abaixo, o ator com o troféu junto a todos os premiados presentes na ocasião.


Estar em atividade e em cena, com prazer, desenvolvendo uma investigação da estética e do fazer teatral é o que move o grupo. Nossa pretensão, com essa produção, não é um fazer teatral que busca uma consistência com seus objetivos delimitados, onde a platéia é atraida a qualquer custo e a preocupação com a estética do espetáculo, a sua experimentação de sentidos e o compromisso com a arte de transformação/provocação não acontece.

Nosso desejo maior é manter um enfoque de pesquisa estética, apresentando um espetáculo de qualidade, levando ao público uma reflexão em momentos de encantamento, determinação, coragem e transformação.