segunda-feira, 26 de março de 2012

Anônimos no FRINGE 2012

O Grupo Anônimos de Teatro volta a se apresentar no sul do país no maior festival de teatro do Brasil, o XXI Festival de Curitiba. Participando da Mostra Fringe, que reúne grupos nacionais e internacionais numa exposição do atual teatro feito pelos grupos e artistas brasileiros, o grupo cachoeirense leva três produções para a capital paranaense. Entre os dias 30 de março e 03 de abril, o teatro capixaba mostra suas expressões. O grupo viaja com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Espírito Santo.

30 de março – 18 horas – Praça Rui Barbosa: Arte e Existência

“Arte e Existência” se estabelece como uma verdadeira germinação de formas que refazem o ato criador, num tempo e espaço próprios. Formas capazes de dirigir ou derivar forças. A encenação reune elementos opostos (água, carne, pano e o próprio corpo) capazes de: desconstruir, descentrar, desintegrar, construir, equilibrar, integrar. O ir-se abrindo e se metamorfoseando. O Corpo que está em cena se propõe ser o receptáculo dos movimentos mais íntimos da alma humana, fazendo com que o performer se torne uma presença viva em cena. Fotos aqui!

31 de março – 12 horas – Praça Rui Barbosa: Ri Quem Quer

Convite ao riso e ao divertimento em que os atores mostram que o teatro é uma forma livre de expressão humana, onde o riso pode derivar dos jogos circenses, do grotesco e do ridículo do corpo, e é capaz de provocar as mais diversas sensações. O bom humor é o personagem principal da peça cheia de improvisos. Fotos aqui!

31 de março a 03 de abril – Diversos locais: Cadê o teatro que estava aqui?

Um ator, um figurino, um cenário, uma apresentação nas ruas de Curitiba. Eis mais uma peça de teatro, certo? "Cadê o teatro que estava aqui?" ilustra a pergunta que todos fazem, mas se calam diante do espetáculo da cena, do fantástico que aliena. Num festival de teatro, o teatro realmente existe? PERFORMANCE INÉDITA, CRIADA PARA O FESTIVAL.

Grupo Anônimos de Teatro

A partir de uma experiência em grupo na época da Universidade, esses jovens fundaram, em 2008, esse coletivo teatro que faz um teatro experimental na busca das diversas modalidades cênicas. Sua arte vai do teatro pobre de Grotowski à Crueldade de Artaud, passando pelos estudos do clown e da pantomima. O grupo leva performances aos ambientes mais diversos, elevando o teatro ao momento de conhecimento, introspecção e entretenimento.

Mais informações sobre o grupo: www.grupoanonimosdeteatro.blogspot.com

terça-feira, 6 de março de 2012

segunda-feira, 5 de março de 2012

Instruções para KAFKA DE FORA PARA DENTRO


- A performance se iniciará às 18h, pontualmente. Caso chegue atrasado, sua entrada não será permitida.

- Não será permitida a gravação através de gravador de som, câmera filmadora ou fotográfica, exceto por pessoas devidamente autorizadas.

- Será permitida apenas a entrada de maiores de 18 anos no local.

- No local, você será informado outras instruções.


FICHA TÉCNICA

Concepção/Performer: Luiz Carlos Cardoso

Orientação: Alexandre Sá

Produto final do performer para o curso de pós-graduação em Arte e Cultura da Universidade Candido Mendes (RJ).


Alexandre Sá (RJ)

É doutor e mestre em Linguagens Visuais da Escola de Belas Artes da UFRJ e licenciado em História da Arte pela UERJ. Além de professor, trabalha como artista plástico, poeta e crítico de arte. Desenvolve um projeto chamado “catálogodebolsoparaestrangeiros – eu também sei ser galeria” (performances, instalações, objetos não identificados e propostas estéticas). Participou de exposições nacionais e internacionais. Desenvolve com regularidade trabalhos em vídeos e recentemente vem realizando trabalhos como curador.


Luiz Carlos Cardoso (ES)

Pós-graduando em Arte e Cultura pela Universidade Candido Mendes/RJ e graduado em Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário São Camilo – Espírito Santo, é ator, performer e produtor cultural. Realizou cursos teatrais com nomes importantes do teatro brasileiro como Celina Sodré, Daniel Herz, Charles Fricks, Henrique Tavares, Moacir Chaves e Susanna Kruger (Rio de Janeiro), Isabel Setti e Zé Henrique de Paula (São Paulo) e Sara Passabon Amorim (Espírito Santo). É diretor do Grupo Anônimos de Teatro, com apresentação dentro e fora do país. Foi convidado pela Associação de Investigação e Crítica Teatral da Argentina para apresentar artigo de sua autoria na 26ª Feira do Livro de Buenos Aires, em maio de 2012.