terça-feira, 17 de novembro de 2015

Dia 20 de novembro é celebrado o Dia da Consciência Negra e para lembrarmos esse dia especial publico o poema Consciência negra de Marco Antônio de Souza Soledade poeta anchietense que com maestria fala das mazelas e das alegrias do povo negro. 


Consciência negra

Vinte de novembro
A celebração
Da consciência negra
Em nossa Nação
Dia da morte
Do ícone da escravidão
Zumbi; de Palmares
Tentou a libertação
Mas numa emboscada
Houve a traição
Por parte de amigo
Amigo do cão

Como todos sabem
Fomos o último país
A abolir a escravatura
Dessa gente infeliz

Treze de maio
O ano vou mear
Dezoito, oitenta e oito
Fato espetacular
A Princesa Isabel
Veio assinar
A Lei Áurea
Liberdade a decretar

Estou livre!
O negro a comemorar
Mas uma angústia
Vem lhe assaltar
Para onde irei?
Onde vou trabalhar?
Família tenho
Para sustentar

Permanecer
Sob a proteção
Do meu patrão
Pelo menos aqui
Passaremos fome não
Minha esposa e filhos
Acompanhar-me-ão

Alguns permaneceram
Libertos na prisão
Não mais o açoite
Foi-se a humilhação
Ainda lhe cabiam
No tocante a educação
Cota para negros
Uma reparação
Alguns questionam
É discriminação

E sobreviveram
Diversas personalidades
O rei pelé
Virou celebridade

O nosso Joaquim Barbosa
Grande Magistrado
Muito batalhou
Sofreu um bocado
Envolvidos no mensalão
Foram condenados

O mestiço e o caboclo
A negra e a mulata
Pessoas cor de jambo
Aquelas também pardas

Pessoas comuns
Mas que do bem são
A senhora Benedita
O senhor Sebastião

Os que vivem em favelas
Que são dignos cidadãos 
que pagam seus tributos
Desenvolvem a Nação
Infelizmente vão existir
Aqueles do arrastão
Do tráfico de drogas
Do furto de um cordão
Assalto à mão armada
Por favor, sem reação

Consciência Negra
Porque comemorar?
De todo coração
Devemos nos libertar
Do orgulho e egoísmo
Da inveja sem par
Só seremos mesmo livres
Quando espaço não sobrar
Em nosso coração
Para as coisas más

Grandes artistas
Zeca Pagodinho
Dudu Nobre
Da Vila tem Martinho
Um maestro da Viola
Chamado Paulinho

Milton Nascimento
Ainda o Djavan
Jorge Bom Jor
Uma multidão de fãs

Gilberto Gil
E por aí vai
São sucessos
Nas paradas musicais

Temos o Congo e Jongo
Feijoada e capoeira
Expressões artísticas
Afro-brasileiras

Ainda temos
O acarajé
Na Bahia
Com muita fé

Diversas atividades
Não tudo pra citar
Mas é meu desejo
A todos homenagear
Viva a Consciência Negra
Que hoje tem lugar!

Poema de Marco Antônio de Souza Soledade

Anchieta – ES, 17 de novembro de 2015

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

“Todas as faces de Maria” no Chile


Na próxima segunda (16), Luan Volpato, Maria Laurinda e Genildo Hautequestt Filho darão mais um importante passo para a divulgação da cultura negra cachoeirense. A exposição fotográfica “Todas as faces de Maria”, que é composta por obras de Luan Volpato e de mais 3 profissionais capixabas: Genildo Hautequestt Filho, Dário Dias e Renilson Chagas, vai desembarcar no CCBRACH – Centro Cultural Brasil-Chile, em Santiago, Chile.

A exposição é parte integrante do congresso “El universo afro en discusión: literatura, cultura e identidad”, brilhantemente organizado por Milena Paixão junto a grandes profissionais. Na ocasião, também será exibido o documentário e distribuído o livro de mesmo nome da exposição.

A realização da exposição “Todas as faces de Maria” no Chile tem o apoio da Secult – Secretaria de Cultura do Espírito Santo, por meio do Funcultura – Edital de Locomoção.

terça-feira, 27 de outubro de 2015

I FESTIVAL NACIONAL NEWTON BRAGA DE POESIA FALADA ACONTECE EM CACHOEIRO




Homenageando o poeta, irmão de Rubem e criador do Dia da Cidade, Newton Braga dá nome ao primeiro festival de poesia falada de Cachoeiro de Itapemirim. O festival vai acontecer no dia 31 de outubro, no Teatro Municipal Rubem Braga, às 19 horas e a entrada é gratuita.

13 apresentações irão acontecer nesta noite, de intérpretes de poesias vindas de Cachoeiro, Vitória, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. 

Para uma primeira edição de um festival que distribuirá nove mil reais em prêmios, a quantidade e a diversidade de inscrições foi a grande surpresa até agora. Ao todo, 132 propostas, sendo 24 de Cachoeiro e 108 de todas as cinco regiões do Brasil, com destaque para Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins, Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Goiás e de diversas cidades do Espírito Santo. A curadoria das poesias, formada pelo editor da Revista Cachoeiro Cult, Fernando Gomes, pela poetisa e professora Milena Paixão e pelo ator e produtor cultural Luiz Carlos Cardoso, analisou 287 poesias inscritas. As três mais bem avaliadas já foram escolhidas e serão anunciadas na noite do dia 31.

Nesta mesma noite, os três melhores intérpretes serão selecionados pela comissão julgadora formada pela atriz e coreógrafa Carol Areias, pelo ator, diretor e dramaturgo Carlos Ola e pela mestra e doutora em Artes Cênicas, Sara Passabon Amorim.

O escritor, poeta, diretor teatro, historiador e cachoeirense Evandro Moreira também receberá uma homenagem pelo conjunto de sua obra a favor da literatura e do teatro capixaba.

O I Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada é organizado pela Companhia Do Outro e pelo Grupo Anônimos de Teatro com apoio da Revista Cachoeiro Cult e patrocínio da Secretaria de Cultura de Cachoeiro de Itapemirim através da Lei Rubem Braga de Incentivo à Cultura.

Festival
O I Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada, organizado pela Companhia Do Outro e pelo Grupo Anônimos de Teatro através da Lei Rubem Braga da Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim/ES, tem o objetivo de unir teatro e literatura produzidos na cidade em intercâmbio com outros artistas do país num encontro em homenagem a Newton Braga, cachoeirense e um dos maiores poetas brasileiros. Na noite do dia 31 de outubro, no Teatro Municipal Rubem Braga, em Cachoeiro, as 13 poesias selecionadas serão apresentadas por seus intérpretes. Uma comissão de julgadores irá avaliar as melhores interpretações. Nesta mesma noite, serão entregues troféus e prêmios em dinheiro para as três melhores poesias e as três melhores interpretações. O evento é totalmente aberto e gratuito.

Serviço
I Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada
31 de outubro de 2015, sábado.
19 horas
Teatro Municipal Rubem Braga
Gratuito.

SELECIONADOS
Nominados em ordem aleatória.

CACHOEIRO
1. COR DE ROSA
Poema de Cláudia Sabadini
Interpretação por Maria Elvira Tavares Costa

2. ACORDAI
Poema de Nelson Miranda
Interpretação por Nelson Miranda

3. POEMA DA VOZ
Poema de Marcus Vinícius Soares da Costa
Interpretação de Clayton Estefanato de França
4. O IDEAL
Poema de Leonardo Nascimento Cordovil
Interpretação por Davi Scarpi da Silva

5. VENTANIA
Poema de Maria Elvira Tavares Costa
Interpretação por Maria Elvira Tavares Costa

6. PONTO DE VISTA
Poema de Marco Antônio Reis
Interpretação por Brenda Caetano Perim

NACIONAL
1. SE EU FOSSE UM POEMA
Bauru/SP
Poema de Jacqueline Salgado
Interpretação por Jacqueline Salgado

2. ARIADNE
Rio de Janeiro/RJ
Poema de Yuri Westermann de Souza
Interpretação por Yuri Westermann de Souza

3. CECOGRAMA
Belo Horizonte/MG
Poema de Luís Kifier
Interpretação por Éder Rodrigues

4. POEMANIFESTO
Uberlândia/MG
Poema de Robisson Albuquerque
Interpretação por Robisson Albuquerque

5. PICO DA NEBLINA
Piracicaba/SP
Poema de Diego Martins de Paula
Interpretação por Diego Martins de Paula

6. ((( I, II, III, SOUL )))
Vitória/ES
Poema de André Arçari
Interpretação por Ivna Messina

7. BUCELFIE
Rio de Janeiro/RJ
Poema de Poliana Paiva
Interpretação por Poliana Paiva





quinta-feira, 1 de outubro de 2015

EVANDRO MOREIRA - o homenageado do primeiro Festival Newton Braga de Poesia Falada


É com prazer que o Festival divulga o homenageado desta primeira edição. Justa homenagem! Evandro Moreira foi secretário do nosso poeta maior, Newton Braga. Também teve inúmeras ocupações na carreira, todas elas praticadas com amor ao ofício e, principalmente, por Cachoeiro de Itapemirim. Dia 31 de outubro, nosso homenageado recebe o troféu Newton Braga.



terça-feira, 22 de setembro de 2015

I Festival Newton Braga de Poesia Falada divulga selecionados



Foram 13 poesias selecionadas, de Cachoeiro e de três estados brasileiros. O festival acontece no dia 31 de outubro de 2015 em Cachoeiro.

O Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada divulgou a lista de selecionados para sua primeira edição nesta sexta (18). Ao todo, 13 poesias irão se apresentar no palco do Teatro Municipal Rubem Braga, em Cachoeiro. 

O Festival teve duas modalidades de inscrição: Cachoeiro e Nacional, possibilitando a inscrição e seleção de poetas e intérpretes da cidade. Agora, todos competem entre si para ganhar os troféus de melhor poesia e melhor intérprete, ambos para primeiro, segundo e terceiro lugar.

Neste ano, o festival recebeu 132 inscrições, sendo 24 de Cachoeiro e 108 de todas as cinco regiões do Brasil, com destaque para Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Tocantins, Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Goiás e de diversas cidades do Espírito Santo. A curadoria das poesias, formada pelo editor da Revista Cachoeiro Cult, Fernando Gomes, pela poetisa e professora Milena Paixão e pelo ator e produtor cultural Luiz Carlos Cardoso, analisou 287 poesias inscritas.

Segundo Luiz Carlos Cardoso, levou-se em conta o conteúdo poético e a estruturação textual do material apresentado. A qualidade das poesias apresentadas foi tamanha que os curadores decidiram incluir uma poesia a mais na categoria Nacional, para dar oportunidade ao poeta, ao intérprete e à poesia de ser apresentada ao público, crescendo ainda mais o festival.

Festival
O I Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada, organizado pela Companhia Do Outro e pelo Grupo Anônimos de Teatro através da Lei Rubem Braga da Prefeitura Municipal de Cachoeiro de Itapemirim/ES, tem o objetivo de unir teatro e literatura produzidos na cidade em intercâmbio com outros artistas do país num encontro em homenagem a Newton Braga, cachoeirense e um dos maiores poetas brasileiros. Na noite do dia 31 de outubro, no Teatro Municipal Rubem Braga, em Cachoeiro, as 13 poesias selecionadas serão apresentadas por seus intérpretes. Uma comissão de julgadores irá avaliar as melhores interpretações. Nesta mesma noite, serão entregues troféus e prêmios em dinheiro para as três melhores poesias e as três melhores interpretações. O evento é totalmente aberto e gratuito.

Serviço

I Festival Nacional Newton Braga de Poesia Falada
31 de outubro de 2015, sábado.
19 horas
Teatro Municipal Rubem Braga
Gratuito.

SELECIONADOS

Nominados em ordem aleatória.

CACHOEIRO

1. COR DE ROSA
Poema de Cláudia Sabadini
Interpretação por Maria Elvira Tavares Costa

2. ACORDAI

Poema de Nelson Miranda
Interpretação por Nelson Miranda

3. MEU ABRIGO

Poema de Francielly Cesario Gonçalves
Interpretação por Augusto César da Fonseca Almeida

4. O IDEAL

Poema de Leonardo Nascimento Cordovil
Interpretação por Davi Scarpi da Silva

5. VENTANIA

Poema de Maria Elvira Tavares Costa
Interpretação por Maria Elvira Tavares Costa

6. PONTO DE VISTA

Poema de Marco Antônio Reis
Interpretação por Brenda Caetano Perim

NACIONAL

1. SE EU FOSSE UM POEMA
Bauru/SP
Poema de Jacqueline Salgado
Interpretação por Jacqueline Salgado

2. ARIADNE

Rio de Janeiro/RJ
Poema de Yuri Westermann de Souza
Interpretação por Yuri Westermann de Souza

3. CECOGRAMA

Belo Horizonte/MG
Poema de Luís Kifier
Interpretação por Éder Rodrigues

4. POEMANIFESTO

Uberlândia/MG
Poema de Robisson Albuquerque
Interpretação por Robisson Albuquerque

5. PICO DA NEBLINA

Piracicaba/SP
Poema de Diego Martins de Paula
Interpretação por Diego Martins de Paula

6. ((( I, II, III, SOUL )))

Vitória/ES
Poema de André Arçari
Interpretação por Ivna Messina

7. BUCELFIE

Rio de Janeiro/RJ
Poema de Poliana Paiva
Interpretação por Poliana Paiva

Fotos: André Arçari (poeta) e Ivna Messina (intérprete, ambos de Vitória/ES) são alguns dos selecionados.





terça-feira, 8 de setembro de 2015

Grupo Anônimos de Teatro faz parceria com o Grupo Ela




O Grupo Anônimos de Teatro faz parceria com o Grupo Ela e apresentam as produções "Chapeuzinho Vermelho" e "O casamento de Dona Baratinha".

Chapeuzinho Vermelho tem como diretor Victor Coelho e adaptações do diretor Lucimar Costa, diretor do Grupo Ela. O casamento de Dona Baratinha foi dirigido por Lucimar Costa.

As apresentações das duas produções vem acontecendo desde o início do ano de 2015, na Praça de Fátima (Beira Rio) e no Teatro Rubem Braga, também fizemos uma apresentação na LBV (Legião da Boa Vontade) em Cachoeiro de Itapemirim.


Agora dia 13/09/15 é a vez da apresentação "O casamento de Dona Baratinha" na Feira da Bondade no Parque de Exposições Carlos Caiado Barbosa de Cachoeiro de Itapemirim às 11 horas.

Dia 20/09/15 a apresentação de "O casamento de Dona Baratinha" será às 17 horas no Teatro Rubem Braga em Cachoeiro.












quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O Grupo Anônimos de Teatro volta com o Projeto Anônimos de Teatro para empresas





O “Grupo Anônimos de Teatro” surgiu em 2008 com o intuito de experimentar as perspectivas cênicas. Dedicação e comprometimento são os fios condutores do grupo para produzir um resultado satisfatório, tanto na atuação cênica, superando as expectativas do público na qualidade e na novidade do trabalho artístico apresentado, quanto na integração dos atuantes que defendem um objetivo comum, que é fazer arte com beleza, verdade e harmonia.

Desde de sua fundação, o Grupo criou o Projeto “Anônimos de Teatro nas Empresas” que consiste em desenvolver esquetes para empresas a paritr do espetáculo “Ri Quem Quer”. Esquetes cômicas onde clowns passam por situações grotescas e bem humoradas, afinal é atraves do cômico (o Komos)/comédia que o clown exerce sua verdadeira função – a qualidade da relação humana;

Como bem analisou Gilles Lipovetsky[1], estamos imersos em uma sociedade humorística e tudo encoraja a esse humor, o riso é onipresente nos meios de comunicação, requer-se simpatia e elogiamos os méritos das risadas, suas virtudes terapêuticas, suas forças corrosivas diante dos integrismos e dos fanatismos. Para ele o aumento do vazio existencial e a progressiva valorização do riso são fenômenos paralelos. (LOPES, p. 30 e 31)

O trabalho com o clown sempre atingi a plateia de forma positiva, além de provocar pensamentos a respeito do que se viu. O mais importante nesse trabalho é provocar o pensar do outro, dando-lhe a oportunidade de pensar diferente através do riso e do bom humor.

Com esse projeto passamos por vários empreendimentos tais como: Samarco, Azevedo Travassos, Selita, EDK, Foz do Brasil, Grupo Buaiz Alimentos, Metalurgica Mozer, Hospital Unimed, Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, Prefeitura de Castelo, Prefeitura de Jaguaré, Prefeitura de Cachoeiro de Itapemiri, entre outras e agora, em agosto, foi  a vez da Margramar.

Estar em atividade e em cena com prazer, desenvolvendo uma investigação da estética e do fazer teatral é o que move o grupo. Nossa pretensão não é um fazer teatral que busca uma consistência com seus objetivos limitados, onde a platéia é atraída a qualquer custo e a preocupação com a estética do espetáculo, a sua experimentação de sentidos e o compromisso com a arte de transformação/provocação não acontece.

Nosso desejo maior é manter um enfoque na pesquisa estética, apresentando um espetáculo de qualidade, levando ao público uma reflexão em momentos de encantamento e transformação. É assim que desejamos manter nossos estudos e nossas práticas por mais tempo, dialogando e experimentando o que há de essencial entre a arte e a vida.




[1] Cf. Gilles Lipovetsky. “ A sociedade humorística” in A Era do Vazio. Lisboa, Antropos, 1990.


Na Margramar

Nos dias 11 e 12 de Agosto, o Grupo Anônimos de Teatro apresentou na Empresa Margramar, situada no município de Atílio Vivácqua, Espírito Santo, próximo à Cachoeiro de Itapemirim.

A proposta foi uma intervenção nos setores da empresa, no dia 11 e no dia 12 a apresentação do "Rir quem quer". Uma produção na estética do clown elaborada especialmente para a empresa, a partir de suas necessidades e ações marcantes.

Na intervenção os colaboradores se divertiram e fizeram questão de participar do processo, com muita alegria todos nos receberam e nos ajudaram a construir mais uma história que marcou o dia de cada um presente nela.

Foi com prazer que levamos aos colaboradores a oportunidade de liberdade. Afinal não é só nas prisões, nos hospitais que as pessoas se sentem presas, agarradas a outras situações e coisas. Nas empresas os colaboradores se sentem presos aos seus afazeres, aos outros colaboradores, aos superiores, aos espaços, a tantas outras situações e coisas que os prendem e o clown leva consigo o prazer da liberdade de agir, de expressar, de ser humano.

Confira as fotos e se divirta.